sexta-feira, 11 de outubro de 2013


FAUSTO - (GOETHE) 




Fausto é o protagonista de uma popular lenda alemã de um pacto com o demônio, baseada no mágico e alquimista alemão Dr. Johann Georg Faust (1480-1540). O nome Fausto tem sido usado como base de diversos romances de ficção, o mais famoso deles do autor Goethe, produzido em duas partes, tendo sido escrito e reescrito ao longo de quase sessenta anos. A primeira parte - mais famosa - foi concluída em 1808 e a segunda, em 1832 - às vésperas da morte do autor.

Considerado símbolo cultural da modernidade, Fausto é um poema de proporções épicas que relata a tragédia do Dr. Fausto, homem das ciências que, desiludido com o conhecimento de seu tempo, faz um pacto com o demônio Mefistófeles, que lhe enche com a energia satânica insufladora da paixão pela técnica e pelo progresso. Esta mesma energia, porém, faz de Fausto um homem desdenhoso das consequências e estragos de sua Ciência, tornando-o um gênio leviano, um louco obcecado pelo progresso e cego para tudo mais.

No afã de superar os conhecimentos de sua época, evoca Fausto espíritos e, por fim, Mefistófeles, o demônio (palavra que significaria, etimologicamente, inimigo da luz) - com o qual negocia viver por vinte e quatro anos sem envelhecer.

Durante este tempo, conforme o contrato assinado com seu próprio sangue, serviria o diabo a Fausto, em troca da sua alma. Entregue aos prazeres durante este tempo, é finalmente ao termo deles levado para o Inferno.

Tendo, porém, encontrado o amor de Margarida, dela tenta obter a salvação, mas foi inevitável o destino a que se comprometera.

A influência de Goethe deu-se em várias áreas. O “método” goetheano de análise fenomenológica não se restringia à botânica, mas também a teoria do conhecimento e das cores. No início do século XX, o filósofo austríaco Rudolf Stein, fundou a Ciência Antroposofia, inspirado no método de observação dos fenômenos desenvolvido por Goethe (no qual a parte subjetiva do observador é também considerada). A antroposofia, a partir desta época, foi aplicada em diversas áreas: na medicina antroposófica, na pedagogia Waldof, na agricultura bio-dinâmica, além de outras (como na euritmia, na terapia artística, na arquitetura...). Também a partir deste conhecimento a antroposofia desenvolveu medicamentos oriundo dos três reinos da natureza (mineral, vegetal e animal) elaborados a partir de uma farmacodinâmica que lida inclusive com a forças imponderáveis (tais como as forças vitais). Atualmente a antroposofia e suas diversas áreas de aplicação estão em mais de 150 países, nos cinco continentes! 


Gothe uma  visão tridimensional!! tudo tem uma perspectiva subjetiva,  Fausto nos remete também! a personagem bíblica "Jó" que também era um dos favoritos de Deus enquanto a fé, algumas ações são muito parecidas com a tragédia de Fausto !  ressalto uma delas ( O demônio querer para si a Fé do favorito de Deus enfatizado por Jó)!! Podemos  remeter outras situações a essa tragédia !! dependendo da visão e do conhecimento de mundo do leitor !!
PEÇA TEATRAL "CHICO CONTADOR DE HISTÓRIAS "


Ator e escritor (PAULO HENRIQUE SANT' ANNA)



O jovem  ator e escritor  Paulo Henrique Sant’Anna, conseguiu destaque, sobre as atuações  no teatro acerca de textos adaptados por “ ele mesmo” tais como de Câmara Cascudo e Irmãos Grimm o qual destaco minha atenção e apreciação, refiro me ao texto “ Chico Contador de Histórias”..trata-se de um monólogo, com cenário simples mas significativo, o qual o ator Paulo Henrique atua interagindo com o público; o texto de fundo moral enfatiza a perseverança e a fé  como argumentos  para a formação da natureza humana mediante às escolhas que a vida oferece . 
O ator e sua equipe já atuaram em vários locais de São Paulo inclusive encenando para escolas Municipais (CEUS) recentemente a performance do grupo foi feita na E.E.Gaivotas III, cuja mesma escola  o artista terminou o ensino médio . A equipe dispunha dos mesmos mecanismos os quais são dispostos nos espaços teatrais, causando a impressão da platéia estar diante de um verdadeiro espaço teatral, o ator começa o monólogo  despertando o público de forma mística para entrarem e serem as  personagens no mundo do “ CHICO CONTADOR DE HISTÓRIAS” .A recepção do Ator e a atuação dele foi positiva pela platéia em todos os períodos, e o texto agradou muito por tratar-se de histórias  mescladas dos estilos literários (contos de  fadas e ditos populares do Nordeste ) que o ator e escritor Paulo Henrique soube organizar as idéias  dele muito bem acerca do texto para persuasão do público, ninguém que assistiu essa peça teatral “CHICO CONTADOR DE HISTÓRIAS”  com o ator Paulo Henrique atuando jamais esquecerá a  expressão “DIVINA PROVIDÊNCIA” ...

Paulo Henrique Sant’Anna, já  é uma promessa para o Teatro Brasileiro, bem como os textos por ele escrito. Ressalto que a sensibilidade do ator é capaz de  fazer a  platéia vivenciar e compartilhar  emoções  até então subjetivas de cada um para uma só emoção interagida de forma coletiva.   

por Hannah