sexta-feira, 13 de novembro de 2009

SEMELHANÇAS ENTRE AS PERSONAGENS MILENA E NICHOLAS DA NOVELA "CARAS E BOCAS" REDE GLOBO ...COM AS PERSONAGENS AURÉLIA E FERNANDO DA OBRA SENHORA DE JOSÉ DE ALENCAR





JOSÉ DE ALENCAR

José Martiniano de Alencar (Fortaleza, 1 de maio de 1829 — Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 1877) foi um jornalista, político, advogado, orador, crítico, cronista, polemista, romancista e dramaturgo brasileiro.
Formou-se em direito, iniciando-se na atividade literária através dos jornais Correio Mercantil e Diário do Rio de Janeiro. Foi casado com Ana Cochrane. Filho do senador José Martiniano Pereira de Alencar, irmão do diplomata Leonel Martiniano de Alencar, barão de Alencar, e pai de Augusto Cochrane de Alencar.

Vida

Nasceu em Messejana, na época um municipio vizinho a Fortaleza. A família transferiu-se para a capital do Brasil Império, Rio de Janeiro, e José de Alencar, então com onze anos, foi matriculado no Colégio de Instrução Elementar. Em 1844, matriculou-se nos cursos preparatórios à Faculdade de Direito de São Paulo, começando o curso em 1846. Fundou, na época, a revista Ensaios Literários, onde publicou o artigo questões de estilo. Formou-se em direito, em 1850, e, em 1854, estreou como folhetinista no Correio Mercantil. Em 1856 publica o primeiro romance, Cinco Minutos, seguido de A Viuvinha em 1857. Mas é com O Guarani (1857) que alcançará notoriedade.
José de Alencar foi mais longe nos romances que completam a trilogia indigenista: Iracema (1865) e Ubirajara (1874). O primeiro, epopéia sobre a origem do Ceará, tem como personagem principal a índia Iracema, a "virgem dos lábios de mel" e "cabelos tão escuros como a asa da graúna". O segundo tem por personagem Ubirajara, valente guerreiro indígena que durante a história cresce em direção à maturidade.
Em 1859, tornou-se chefe da Secretaria do Ministério da Justiça, sendo depois consultor do mesmo. Em 1860 ingressou na política, como deputado. Em 1868, tornou-se ministro da Justiça e, em 1869, candidatou-se ao senado. Em 1877 viria a ocupar um ministério no governo do Imperado. Em 1872 se tornou pai de Mário de Alencar, o qual, segundo uma história nunca totalmente confirmada, seria na verdade filho de Machado de Assis, dando respaldo para o romance Dom Casmurro. Viajou para a Europa em 1877, para tentar um tratamento, porém não teve sucesso. Faleceu no Rio de Janeiro no mesmo ano, vitimado pela tuberculose.
Produziu também romances urbanos (Senhora, 1875; Encarnação, escrito em 1877, ano de sua morte e divulgado em 1893), regionalistas (O Gaúcho, 1870; O Sertanejo, 1875) e históricos (Guerra dos Mascates, 1873), além de peças para o teatro. Característica de sua obra é o nacionalismo, tanto nos temas quanto nas inovações no uso da língua. Em um momento de consolidação da Independência, Alencar representou um dos mais sinceros esforços patrióticos em povoar o Brasil com conhecimento e cultura próprios, em construir novos caminhos para a literatura no país. Em sua homenagem foi erguida uma estátua no Rio de Janeiro e um teatro em fortaleza chamado de teatro José de Alencar.


CARACTERÍSTICAS DE ALENCAR:

A obra de José de Alencar pode ser dividida em dois grupos distintos
Quanto ao espaço geográfico
  • O sertão do Nordeste - O Sertanejo
  • O litoral cearense - Iracema
  • O pampa gaúcho - O Gaúcho
  • A zona rural - Til (interior paulista), O Tronco do Ipê (zona da mata fluminense)
  • A cidade, a sociedade burguesa do Segundo Reinado - Diva, Lucíola, Senhora e os demais romances urbanos.



Quanto à evolução histórica
  • O período pré-cabralino - Ubirajara.
  • A fase de formação da nacionalidade - Iracema e O Guarani.
  • A ocupação do território, a colonização e o sentimento nativista - As Minas de Prata (o bandeirantismo) e Guerra dos Mascates (rebelião colonial).
  • O presente, a vida urbana de seu tempo, a burguesia fluminense do século XIX - os romances urbanos Diva, Lucíola, Senhora e outros.


 
Senhora é um dos romances do escritor brasileiro José de Alencar. Foi publicado em 1875.
No livro o autor faz uma crítica a decadência de valores do Segundo Império. Através do romance entre Aurélia Camargo e Fernando Seixas, ele leva o leitor a refletir a respeito da influência do dinheiro nas relações amorosas e principalmente, sua influência nos casamentos da época. O romance divide-se em quatro partes, que correspondem às etapas de uma transação comercial: O Preço, Quitação, Posse e Resgate.



SINOPSE DE SENHORA


Aurélia Camargo, filha de uma pobre costureira e órfã de pai, apaixonou-se por Fernando Seixas – homem ambicioso - a quem namorou. Este, porém, desfez a relação, movido pela vontade de se casar com uma moça rica, Adelaide Amaral, e pelo dote ao qual teria direito de receber.
Passado algum tempo, Aurélia, já órfã de mãe também, recebe uma grande herança do avô e ascende socialmente.Passa, pois, a ser figura de destaque nos eventos da sociedade da época.
Dividida entre o amor e o orgulho ferido, ela encarrega seu tutor e tio, Lemos, de negociar seu casamento com Fernando por um dote de cem contos de réis. O acordo realizado inclui, como uma de suas cláusulas, o desconhecimento da identidade da noiva por parte do contratado até as vésperas do casamento.
Ao descobrir que sua noiva é Aurélia, Fernando se sente um felizardo, pois, na verdade, nunca deixara de amá-la. E abre seu coração para ela.
A jovem, porém, na noite de núpcias, deixa claro: "comprou-o" para representar o papel de marido que uma mulher na sua posição social deve ter. Dormiram em quartos separados. Aurélia não só não pretende entregar-se a ele, como aproveita as oportunidades que o cotidiano lhe oferece para criticá-lo com ironia. Durante meses, uma relação conjugal marcada pelas ofensas e o sarcasmo se desenvolve entre os dois.
Fernando, todavia, trabalha e realiza um negócio que lhe permite levantar o dinheiro que devia a Aurélia. Desse modo, propõe-se a restituir-lhe a quantia em troca da separação. Considerando o gesto uma prova da regeneração de Fernando, Aurélia, que nunca deixara de amá-lo, é vencida pelo amor. Ao receber o dinheiro, entrega-lhe a chave de seu quarto e o casamento se consuma, afinal.


PERSONAGENS PRINCIPAIS


Aurélia, (Senhora) - Uma mulher diferente de todas as outras que naquela época viviam. Destacava-se pela sua beleza e pela sua maneira de agir e de pensar. Opunha-se a algumas regras determinadas pela sociedade que não lhe agradavam. Aurélia a todos pode dominar e tem tudo o que quer ter. Era educada, delicada, corajosa, elegante, informada, inteligente, experiênte. Era com certeza, alguém que nasceu para a riqueza e para a alta sociedade, e talvez, a característica que consideramos a mais importante, que pode ser a explicação de seu sucesso no domínio das pessoas: a sua frieza e seu estimável auto-controle.

Fernando Seixas - Uma importante característica de Seixas é o enorme contraste entre a sua vida social que levava na alta sociedade e a que tinha em casa com sua família. Seixas era um homem de classe, que possuí bens caríssimos, só disponíveis as pessoas da mais alta sociedade. Fernando era fino, nobre, elegante, educado e extremamente inteligente.



SOBRE A NOVELA CARAS E BOCAS DA REDE GLOBO


A Telenovela conta a estória de amor de Dafne e Gabriel ...movida a contratempos e peripécias proporcionadas pelas ações de outros personagens...






SOBRE AS PERSONAGENS  "MILENA E NICHOLAS"





MILENA(SHERON MENEZES)  Filha de Dirce, descobre que é herdeira de Jacques. Bonita, íntegra e batalhadora, tem orgulho de quem é, de seus princípios e valores ..casa-se com o Namorado que a desprezou por meio de contrato....






NICHOLAS  (SÉRGIO MARONE)..narcisista e vaidoso, é filho de Léa e irmão de Judith. Ele é praticamente um fantoche nas mãos da vilã. Casa-se com Milena por contrato...por causa do dinheiro dela...




SEMELHANÇAS DAS PERSONAGENS DO ROMANCE "SENHORA" E DA TELENOVELA "CARAS E BOCAS" 




"MILENA E AURÉLIA ERAM POBRES E NAMORAVAM UM RAPAZ DE ESTIRPE, QUE FORAM ABANDONADAS POR CAUSA DO DINHEIRO...AMBAS FICAM RICAS DE REPENTE...MILENA..É FILHA BASTARDA DE UM MILIONÁRIO QUE HAVIA MORRIDO E REAPARECEU....AURÉLIA RECEBE A HERANÇA DO AVÓ APÓS A MORTE DELE...ABANDONADAS E HUMILHADAS ...AS PERSONAGENS FICAM ENTRE O AMOR E O DESEJO DE VINGANÇA ...E COMPRAM OS NOIVOS ..RESPECTIVAMENTE..NICHOLAS E FERNANDO...QUE ATRAVÉS DE UM CONTRATO DE CASAMENTO SE SUBMETEM AOS CAPRICHOS DAS ESPOSAS...."




ASSISTAM A NOVELA ....E VALE A PENA LER O ROMANCE "SENHORA" DE JOSÉ DE ALENCAR.........











3 comentários:

  1. você tem excelente visão das coisas!! essa eu não iria perceber nunca!!beijos

    ResponderExcluir
  2. sou professora de língua portuguesa!!ótima idéia de comparação! vou passar para meus alunos! se você não se importa! parábens professora!!bjus..

    ResponderExcluir
  3. Ótima visão de comparação entre a obra de José de Alancar e a novela Caras & Bocas!
    Beeijos ;*

    ResponderExcluir